Contribua para a Campanha do Agasalho 2009

Campanha do Agasalho 2009

Monday, May 13, 2013

Este Blogue é de exclusiva pertença de António Pena Gil. Reside em Vila Real, onde é professor no Agrupamento Vertical de Escolas Morgado Mateus. Todas as cópias ou atividades menos convenientes nele praticadas serão, de imediato, comunicadas a quem de direito para serem resolvidas. Respeito todos e só desejo que me respeitem. Com consideração gigantesca. Sempre a admirá-los imenso. António Pena Gil MUITO OBRIGADO! Bem-haja, pela paciência e amizade!

O meu e-mail é penasoft@gmail.com


Saturday, May 11, 2013

Às Vezes Tenho Receio Da Vida. Da Minha Vida!


As flores. A harmonia. A pacatez. O silêncio, fazem-me sentir e pensar. Numa tranquilidade de encanto e pureza. Que faz a “triagem” do meu Ser.

Tenho a certeza que “Habito” um Universo. Um Firmamento feito de preciosas e fantásticas pessoas perfeitas. São como estrelas cintilantes. Majestosas. Resplandecentes de brio e intensidade extraordinária. De uma sensibilidade marcante. Constantemente doce. Muito terna.

Tenho um receio imenso da vida. Da minha vida. Dos afectos que me transmitem. Sentidos. Presentes. Adoráveis e magnificentes. Que desmaiam no que sou num choro sentido de gratidão sincera.
Ajo sempre com o coração “entalado” no seu lugar preciso de apreço. Em que “construo” e me preocupo em executar poesias singelas, sem ser um poeta a sério. Que brotam do meu sentir com esforço. Esconderei sempre os meus versos em mim. De encontro ao meu peito. São meus. 

Deliciosamente meus. Se os divulgasse rir-se-iam deles. Sei disso. Tenho um receio imenso da vida. Do que possam apurar. Do que possam desvendar. De entender que a poesia que faço não é poesia. Nunca serei um poeta, sabem?


Escondo-me. Escondo a poesia que sai do meu eu apressado. Oh, como ambicionava mostrar tudo o que possuo? Tudo, mesmo.
A poesia que “construo” dedico-ma. Não extrai o meu coração porque não pode? Direcciono-a ao meu esquecimento porque “entro” nela. Não sei sequer se vive de sobriedade. Bom-Senso. Se revela a minha Alma que vive a sonhar. Sonha, isso tenho a certeza. Sim? Absoluta.
Não sou um poeta. Sou somente um poeta de mim. Vive. Reage. É.
Às Vezes Tenho Receio Da Vida. Do choro poético da minha vida.
Creio que faço bem em a esconder. Sim! A poesia! A poesia que faço só para mim.
Adorava ter estudado a sua métrica. A sua sonoridade. Ter estudado o carinho e a ternura que emana dela e que não sei “confeccionar”.
“Disto” estou certo. Infelizmente exacto.
Às Vezes Tenho Receio Da Vida.
Da minha vida.
Nunca entregarei a ninguém a minha poesia.
A poesia mágica e desconhecida que faço para mim.

Pena

Friday, December 21, 2012

Natal: O Espírito da Amizade



Acordei com um espírito da amizade grandioso e arrebatador. Eram os termos correctos. Encontravam-se vivos e presentes em mim. Conquistavam-me!

Eram bem visíveis.

Eu, que nesta quadra, regresso sempre à infância. Sei lá se nunca sai dela!

Eram dez horas e sete minutos da manhã. Fazia frio. Só assim explico o Natal.
Sim, o frio é importante. Só assim se consegue explicá-lo, senti-lo!

Pensei como era feliz. Feliz, porque no Natal, todos transportam sorrisos.

As pessoas transportam sorrisos e alegria neles, porque é Natal. Explicam-se assim. De forma jovial e amiga. Necessitam de instantes alegres, mesmo aqueles, mesmo aquelas pessoas, que ao longo do ano nunca emitem um sorriso como o fazem agora.

A magia do Natal agarra os corações de todos, mesmo daqueles que o perderam há muito. Mesmo daqueles que procuram descobri-lo e encontrá-lo, apalpando-o no vazio, onde devia estar e não está, no vazio do olhar e do infortúnio que os assola pelo desencanto existencial e pleno de nada. Mesmo esses! Penso, que o encontrarão. Tenho esperança.

Não consigo entender a razão da minha euforia e felicidade nesta dia.

Só sei que é Natal e eu gosto dele! Porquê?

É Natal. Está tudo dito! Paira no ar, algo que me comove e me faz viver com emoção! Com encanto. É diferente. O cheiro é diferente. As sensações são diferentes. Boas!

O meu Natal está com todos. Pobres e ricos. Bons e maus. Com saúde e sem saúde. Amigos e sem serem amigos.

Todos, sem excepção.

É Natal!
Sinto-me feliz porque sou verdadeiramente feliz e é Natal!

E, particularmente, embora seja incorrecto porque devia ser todos os dias, preocupo-me, de forma mais intensa pelas pessoas, porque é Natal!

É esse dia MUITO ESPECIAL...
É Natal!

By PENA,Reposição do Natal 2006

Monday, December 17, 2012

Um Santo Natal!



Neste Natal desejo-te uma imensidão de desejos concretizados e felizes.
Para os corações desencantados que Deus lhes dê força para conseguirem alcançar o bem-estar e harmonia que desejam.
Para ti que me lês, um carinho, uma dedicação, um afago. São sinceros e autênticos, acredita?

Que a bonomia das pessoas compreenda e acredite nos teus maravilhosos sonhos. Mesmo aqueles sonhos que a vida “destroçou”. "Apagou" dos seus corações extraordinários.

Mesmo sonhos irreais teus que eles sejam.

Sonhos de Paz. Solidariedade. Ternura. Amor. Profundos. De significação imensa. Plena.

Que abarque a tua Felicidade. A tua tranquilidade interior e exterior.

FELIZ NATAL e um ANO NOVO DE 2013 diferente. Melhor.

Mais acolhedor e dialogante. Na busca incessante da harmonia repleta de beleza, encanto e pureza que sei existirem em ti.

Um Bem-Hajas pelo teu encanto.

A Alegria também existe em todos. Em ti. Cativa, sabes?

Está bem?
Um Santo Natal!
Pena
Pena.Natal.2009
OBRIGADO por todo o carinho, dedicados visitantes. Bem-Hajam! Adoro-Vos!
Ainda não estou preparado para abrir os comentários. "Coisas" pessoais. Logo que possa abri-los-ei de imediato. Desculpem, sim? E tentem entender, sim?

Saturday, December 08, 2012

 É o meu primeiro Livro que é para vós.
Tenho tido saudades vossas. Imensas.
Quero que vejam o que faço.
No maior respeito pela vossa grandeza de sentimentos e pensamentos.
Sempre a admirar-vos. Muito!


António Pena Gil (PENA)!

Thursday, December 06, 2012

A Magia de um “Rabisco”!



A importância de que se reveste a disciplina de Educação Visual no currículo do 2º e 3º Ciclos!


A Magia de um “Rabisco”!



Já constataram a surpreendente poesia e emoção doces e fabulosas que comportam a pura “Arte” do “respirar” de um singelo “rabisco”? É de uma criança ou adolescente no palco da nossa disciplina. Ela está aberta ao delicioso estar do Mundo deles e delas.
Ele fala. Ele comunica. Ele sofre. Ele “ama”. Ele vive. Ele ambiciona compreensão. Ele emociona. Ele faz sorrir e chorar.
Quantas encantos, mistérios, vidas sofridas, irão nesse singelo, doce e terno “rabisco”? Temos uma certeza: são “rabiscos” de sonho. Que nos fazem sonhar. Extraordinários. Lindos. Puros. Fantásticos em mãos de ouro puro.
A sinceridade e humildade deles e delas serem está nesses “rabiscos” admiráveis e repletos de bonomia.
São muito significativos na sua Alma enorme. Majestosa.
É a “Arte” linda e pura a sorrir para eles. A sorrir para nós. A sorrir para vós. A sorrir para o Planeta inteiro que os faz. “Amamos” esses “rabiscos” de sonho. São preciosos. Comportam vidas admiráveis com uma poesia ímpar por ser maravilhosa.
“Abraçam” a disciplina de Educação Visual porque faz criar. Faz educar. Faz viver.
Os “rabiscos” vão-lhes no seu lindo coração e no nosso compreensivo coração.
São os “rabiscos” do “amor” que vai neles e nelas. Que “apaixonam”. Cujos gestos e atitudes prevalecem com dignidade, carinho e ternura deles e delas.


Toda a Arte de uma criança é doce, deliciosa e maravilhosa.


António Pena Gil (Pena)

Sunday, November 11, 2012

Estimados Amigos de sonho:
Este é o meu segundo livro.

Tenho saudades do vosso encanto.
No maior respeito por todos vós.
Sempre a admirar-vos.

António Pena Gil  (Pena)