Contribua para a Campanha do Agasalho 2009

Campanha do Agasalho 2009

Saturday, December 29, 2007

Paris! Um sonho lindo descartado por magia da cartola do terno encanto !


Quando o avião levantou do solo, recolheu o trem de aterragem e furou as nuvens rumo aos céus, com destino à bela capital Francesa, estremeci de pasmo.

Deixara para trás o meu País belo, feito de pessoas de sonho, encanto , sensíveis e decoradas com o seu coração de ouro.

Não sabia o que iria encontrar.
Agora, com os pés firmes em terra, recordo...

Recordo que depois de o visitar deixara para trás o "Parque Disney" de delícia, ternura. Permaneci aí três dias de incrédulo sentir. Tornei-me novamente a criança doce de antigamente.
Deixara para trás já com saudade todas as brilhantes histórias infantis contadas e fantasiadas vivamente pelo imenso talento da voz doce de Walt Disney e o seu poder de encantar grandes e pequenos. Outros contaram-nas naquele lugar.
Uma temperatura ambiente de graus negativos fizeram tornar aquele mágico lugar num sonho infantil puro e lindo de estarrecer.
Os meus filhos que trago no coração absorveram a magia da maravilha e do encanto ali vivenciados.
Deslocamo-nos rumo ao desconhecido parisiense.
Paris de todos os sonhos.
Mais à frente surgiu o quê?
Deparei com o deslumbre da capital francesa de Paris.

Encontrei-me metido num barco gigantesco com pessoas de variadas nacionalidades do Mundo, atravessando o rio Sena.
Olhei e olhei demoradamente uma e depois a outra margem.
Realmente, aquele rio estava protegido por duas margens que o afagavam e o protegiam.
Provocavam e difundiam para o rio um bem-estar infinito, sabedor, cúmplice e com tanto a contar. Tanto a fantasiar.
As águas calmas expressavam uma pacatez poderosa.
Fora um barco tomado perto da Torre Eifell que trazia felicidade ao olhar.
Observava tudo em sintonia com o que de mais belo a "Cidade das Luzes"me podia encantar e contemplar.
Imensas chamas acesas no pensamento, no Ser, no Sentir.
Vários focos de luz intensas justificavam a enormidade de um sonho, equanto navegávamos e passávamos as inúmeras pontes e deslumbrantes pontos de interesse que jamais me sairá facilmente do pensamento.
Do pacífico e suave Sena víamos agora sa trazeiras do imponente "Museu do Louvre". Escondia no seu interior o sorriso apetecido da "Mona Lisa" que acabaria por visitar e aperceber-me da sua imensa pequenez maravilhosa e terna guardada e fixada de forma perpétua e bem patente, que segredava e visualizava o seu inesquecível sorriso com um enorme valor sublime de incredulidade.
Sim! A expressão do seu sorriso cativava, pude constatar bem perto em que me coloquei lá, relembro.
Uma imagem tão pequena e apelativa cumprindo a sua beleza e encanto que comunicava com as pessoas daquela sala exígua onde se encontrava sobre a sombra dos turistas que lhe prestavam veneração.
Fascínio!
Mais tarde pude apurar e constatar a gentileza na visita que fiz ao "Museu" quando lá entrei.
Agora navegava em sonhos dentro daquele barco.
Passávamos agora a "Ponte Neuf", perto de "Chêtelet", a "Ponte de L Alma", "St-Michele Notre-Dame", "Invalides.
A visita pelo rio abaixo havia terminado, mas tinha valido a pena, acreditem?
Fomos trazidos ao local de onde partiramos sobre o cais situado nas margens do rio Sena, que num acto de passe mágico, fez acender as luzes cintilantes da Torre Eiffel que fixei demoradamente e afectivamente.
Foi real, vísivel e manifesto.
É verdade acendiam-se à nossa passagem pela Torre Eifell que pestanejava sempre, quando da entrada dum barco turístico.
Era uma forma de Paris acolher.

Visitei também "St-Lazare", "Montparnasse", "Les Champs Élysées, "Notre Dame"!

De seguida o agitado e vivo "Quartier Latin" dos poetas, pensadores, intelectuais que lhe emprestavam e decoravam com imensa beleza e afagante calor humano a sua agitação, o seu afagante conforto.
Num restaurante dali subemergi nos tradicionais pratos franceses de apetecer e pedir por mais.

Jantei aí.

Conheci o humor subtil parisiense através de um empregado de mesa que conheci em pleno "Quartier Latin".
Restou a sua pronta vontade firme de agradar e receber os forasteiros que fiz a intenção de lho expressar e agradecer.

Após a refeição, neste mesmo local percorrido por centenas de pessoas fui tomar café a um local de sonho:"Les Deux Magots".
Jean Paul Sartre da minha adolescência escrevia aqui e "vivia" o sua intensa vida cultural existencialista o que me sensibilizou.
Simon de Beauvoir, escritora famosa e sua esposa respeitável frequentava aquele café também, bem como vultos marcantes daquela época.
Entrei e tomei um quente expresso que guardarei sempre na memória.
O instante "alto" da minha visita. Como sonhara com o "Les Deux Magots"!

Aqui as conversas sucediam-se baixo, educadamente e sobre a ternura da cultura.
Jamais o esquecerei aquele alucinante lugar.
Estive lá.

E, registei no livro encantador da vida.
Tudo.

Pena. Dezembro.2007. "Visita a Paris"

Excelente fim de ano e que o Novo Ano de 2008 que vai surgir seja magnífico.

Melhor. Com mais saúde decorado com a maravilhosa sensação de existir.

Sim! Acredito que será assim!

Um recomeço do ano de 2008 seja pleno de agrado e satisfação.

São os meus votos sinceros!

Sunday, December 23, 2007

Que O Teu Sorriso Ou Gesto Amigo Acrescentem A Felicidade De Um Coração Grandioso Neste Natal PARA ALGUÉM!!!

FELIZ NATAL PARA TI!






Uma imensidão de desejos concretizados e felizes.
Para os corações desencantados que Deus lhes dê força para conseguirem alcançar o bem-estar e harmonia que desejam.
Para ti que me lês, um carinho, uma dedicação, um afago. São sinceros e autênticos, acredita?

FELIZ NATAL e um ANO NOVO DE 2008 diferente. Melhor. Mais acolhedor e dialogante na busca da paz interior e exterior para ti.

Um Bem-Hajas de encanto.

Levo-te comigo. SEMPRE!

pena.Dezembro.23 de Dezembro de 2007. 22 horas e 15 minutos.

Wednesday, December 19, 2007

Vivo Eufórico Com A Amizade. FELIZ NATAL com o Carinho da Amizade!










Vivo Eufórico Com A Amizade.
FELIZ NATAL com o CARINHO da AMIZADE!
Este Natal que a Amizade conquiste o coração ENORME de todas as Pessoas!

Tenho alguns amigos.
Quando sei que os tenho agarro-os com força.
Com toda a garra que possuo e que me faz pensar.
Vê-se-me no olhar com uma nitidez surpreendente.

A Amizade é uma coisa simples. Um gesto. Um cumprimento. Um "Olá!"

Estimo-os muito e desmenbro-os de atenção e dedicação, os amigos. Tal a impetuosidade.
O Afecto que por eles nutro. Um afecto que transcende. Abarca uma entrega.
Uma dedicação fervorosa.

Intensa e Imensa!
Sinto-me nos amigos. Por completo. Com euforia e querer.

Torno-os visíveis em mim e no que sou. Sempre! De forma constante. Indiscutível!

E, sou tão pouco, tão pouco...

Olho para o que me rodeia com atenção. O Mundo! Esse gira e dá voltas. Muitas voltas!
A Amizade perdura. Tem que perdurar.

Encantadoramente.



Apesar do Mundo girar, não "giro" os amigos.


Tento só compreendê-los quando os leio nos olhos com atenção. Na sua busca que entendo porque me entendo.
Tento instalar-me nas suas preocupações. Nas suas indecisões. Nas suas dúvidas para as quais nunca sugirio nada. Não sugiro nenhuma sugestão.


Interrogo-me sobre as suas vidas com paixão. Profunda!
Tento compartilhar indecisões. Tento compartilhar o seu valor.

Porque têm valor.
Um valor que arrebata pela delícia das atitudes.
Não precisam ser muitas, mas que educadamente vejo sem querer saber nada. Mesmo nada!

Como eu percorro os amigos com querer num rumo certo e sincero fico admirado comigo.
É que os guardo com carinho e não os quero perder, os Amigos.
De forma que pretendo ser ENORME! Até, porque me dizem muito.

Apesar de tudo, na solidão de mim, fico eufórico, muito eufórico, com o desabrochar de uma amizade, seja de quem for se fizer sentido. Um imenso e poderoso sentido.
Em que confio.
Parece-me que o que dou é nada. Um vazio, se calhar. Mas, um vazio significativo que percorro com muita dedicação e por inteiro em que me entreicheiro convicto.

Só eu sabedor deste acto.
Só eu eufórico dessa amizade.

O seu reconhecimento e, o meu reconhecimento, podem crer que é sincero.

Muito sincero!

Fico eufórico com a amizade e com os seus gestos ternos. Amáveis.
Gestos que parece que conheço porque me fazem estarrecer. Comover.
Sensibilizar da delícia que sinto em mim e no que sou.

Por certo, essa amizade eternizar-se-á em simples, mas simbólicos actos!

Eternizar-se ão na magia que é viver com a mais singela pureza que contempla a amizade.
Que se sente. Que se vive. Que se pensa.

Faz-me sentir viver eufórico, a amizade!

Acreditem, por favor?


Pena. 19 de Dezembro.2007. 19 horas e dez minutos de um Dia de Amizade sentida.


UM MARAVILHOSO DIA DE NATAL.


EU VOU VOAR PARA Paris, a "Cidade das Luzes" após comemorar o Dia de Natal.

Vou rumo à EURO-DISNEY. Levo todos os que me lêm e não lêm no coração. OBRIGADO!

Friday, December 14, 2007

Oh, meu Deus, Flávia. O que te fizeram, amorzinho lindo...!!!

Hoje, estou triste.

É com tristeza que te falo.
Penso no teu sonho infantil anulado. Inacabado!
E, tinhas tanto a ser e a sentir, tanto...!!!

Sabes, não compreendo nem nunca entenderei pensar as piscinas, receptáculos de desencanto e podridão de corações empedrenidos e insensatos.

Hoje, sinto e leio as piscinas com descrédito. Angústia.

Uma enorme desilusão da tua, outrora, vida feliz.

Sim! Sei que me escutas, num silêncio presencial adormecido que não me apazigua, nem abarca, porque eras jovial, de coração aberto, sensível.

Difundias ternura numa contagiante e apaixonante forma mágica da tua enorme doçura e da pureza que cintilava, brilhava e arrebatava.

Eu sei. A culpa foi da piscina. Quem maltratou a piscina para te fazer mal?

Foi acabar com um profundo coração de enorme Encanto! Eras gigante de sentimento.
Amor!

Sabes, as piscinas que tu viveste dez anos atrás não se esquecem ou podem ignorar a tua deslumbrante e linda forma de amar. Com doçura. Com ímpar encanto que fazia deslizar inocentemente o teu pequenino corpo num espaço de perigo que viria a suceder já lá vão quase dez anos.

Olha, gosto de ti. Sei isto.
Se me pudesses ouvir? Sei que te esforças por escutar porque gosto de ti.

Não gosto é de ralos que matam, que corróiem, que maltratam, que ignoram a beleza dos teus dez anos, mais dez anos.
Esses ralos magoam tudo o que é pessoas. Até magoam as crianças, vê lá!

São concebidos sem fiscalização, vivendo do lucro fácil, visando a tristeza sentida e cruel de inocentes e transparentes SERES HUMANOS que também vivem e amam a vida que Deus lhes deu para a maravilhar, para a enriquecer. Para a cativar.

Então, porquê, meu Deus?

Olha Flávia, estarei sempre a pensar em ti, a pensar no que és, a pensar no que sentes. Prometo!

E, quando prometo, cumpro. Sempre!

Sabes, também tenho filhos e sei e consigo pensá-los eternamente.

Estarás no meu pensamento como eles estão, acredita?

Beijinhos, Flávia. Potes de beijinhos. São para ti.

Os que me poderias enviar estarão fechedos no meu coração com chave de ouro, por serem gigantescos da tua imensa ternura, afecto e encanto.

Oh, Meu Deus, Flávia. O que te fizeram, amorzinho lindo...!!!

Pena.Dezembro.2007. Blogagem Colectiva do caso de injustiça Flávia.


(Dedicado com ternura e amor sinceros à família da Flávia com toda a minha solidariedade)

(Há muito que fazer por quem de direito. Exige-se justiça imediata e pronta que ainda não foi feita.)!
A linda flor é um gesto admirável e lindo da enternecedora Amiga Alice Matos dos Blogs: "Detalhes" e "Pensamentos".
É com doçura pela causa mais que justa da maravilhosa Flávia.
Foi um acto carinhoso e deslumbrante de ternura. OBRIGADO, ALICE!)

Sunday, December 09, 2007

Como Me Maravilhou Aquela Doce Avó de Encanto. Também era um pouco como a minha!





"Um passeio" agradável sobre uma doce Avó de sonho.

Naquele dia, quando caí em mim não era eu. Havia uma perturbação qualquer no que sou.
Revi o meu confidencial livro da vida.
Não! Fixei um olhar para sempre.
Um olhar lindo, puro, simpático. De imenso encanto. Daqueles que só se conhecem quando há uma avó presente.

Todas as avós do Mundo são belas! Mas, aquela tinha um "brilhozinho" especial.
Era como a minha, que recordo com saudade, com ternura, com um encanto que só eu sei.
Abri com chave de ouro o pensamento.
Só consigo abri-lo em momentos dourados. Preciosos.
Quando aquela avó me abriu o seu sorriso senti muitas emoções.
Uma imensidão de autênticos e verdadeiros estados de Alma de estarrecimento, agradecimento, admiração, que me fizeram chorar para mim. Só para mim.
Não consigo explicar, nem compreender bem o que se passou no meu interior, por ser muito belo. Também sou sensível a tudo, meu Deus.
Mas, agora, tinha razões para o ser, acreditem.


Caí num estado emocional silenciado pela magia do seu olhar, da sua terna presença. Senti nela uma segurança imensa, que me deu forças para fazer o que tinha que fazer.


Era uma avó das autênticas, daquelas avós tão doces que têm no coração e, no colo enorme, um lugar sempre para compreender e amparar mais alguém.

Tal e qual a minha que já "partiu" não sei porquê? Precisava tanto dela agora. Gostava que me explicassem porque "partiu"?
Sim! Amava-a tanto! Uma avó é-nos necessária eternamente.

Todos precisam de uma avó, sabem?
Não! Não nos podem ser indiferentes, nem podem sê-lo. É pecado perante Deus. Perante nós.
E, aquela era "tanto". Tanto. Tanto...e Tanto!

Emanava tanto amor só de a olhar.
OBRIGADO!
Joana, tens "tanto"!
Aproveita, mas deixa-me um bocadinho do seu colo, do seu amor, da sua ternura.
Um Bem-Haja, a esta Avó! Uma verdadeira Avó!
Parabéns, Avó. Pela magia do seu olhar. Do seu sentir. Da sua eterna presença, emanando uma ternura e amor indescritíveis. Acreditem que o seu olhar resplandecente e puro ficou preso a mim.
Eternamente!
Tal e qual, a minha ENORME AVÓ!

(O meu Sincero agradecimento à minha Aluna de sonho: A Joana! Obrigado por me emprestares a tua linda avó!)
pena.Junho.2007."Entrega do Aproveitamento dos Alunos aos pais no ano lectivo de 2006/2007". Reposição à 1h30m do dia 10 de Dezembro de 2007.

Wednesday, December 05, 2007

Dois Amigos Ternos e carinhosos e eu não merecia...!!!


Dois Amigos Ternos e Carinhosos e eu não merecia...!!!








Amiga Papoila
Amigo Óscar Luíz



Digo dois amigos maravilhosos porque fui contemplado pela minha eterna, linda e talentosa amiga: "A Papoila" com o sêlo:
"Diz que Até não É um Mau Blog".
Esta Amiga é pura e simplesmente adorável, afável, linda de morrer.
Possuí sentimentos ímpares de encanto e deslumbre.
OBRIGADO, doce Amiga Papoila e desculpe se a homenagem que lhe faço é parca de adjectivos.
Admirável. Notável e sublime PESSOA carinhosa. Uma flor pura e bela!
Para si e para os seus um Mundo de eterna felicidade e bem-estar. Eterna Harmonia sentida.
Fiquei feliz, apesar de, sinceramente, não o merecer.
Há tantos!
O meu humilde desejo é:
OBRIGADO de Alma e gigantesca do coração.
A sua presença arrebatadora ficará inscrita e retida no meu olhar gasto, mas afectuoso.
OBRIGADO!




O Amigo deslumbrante Óscar tem uma história que gosto de contar.


Quando ainda pequeno uma nave intergaláctica aterrou como por magia, no quintal dos seus adoráveis pais. A porta entreabriu-se e dela saiu um Ser magnífico irreal: O Óscar Luíz!

Era um Ser extra-terrestre que nasceu para encantar, para deslumbrar, para enternecer.

As "Meninas" intergalácticas sentiram a força da sua presença que iria terminar e afagaram-no com doçura e a maior ternura que lhes saiu do seus fascinantes corações interiores e muito belos.

Amavam-no demasiado para se desfazerem assim duma Pessoa que é Pessoa, mas irreal.

Não! O Meu Amigo Óscar Luíz é um extra-terrestre. Sensato. Simpático. Excelente carácter de pessoa de bem.

Não é real, é demasiado amável para ser real.

Será metafísico? Creio bem que sim! Só pode, com tanta bondade que jorra de si.

Num ápice, mesmo antes de viver a sua infância e a sua adolescência, cresceu.

Tornou-se um adulto de ouro.

As meninas davam gritinhos só de olhá-lo.

E, eu? Muito homem que sou, faço-lhe uma vénia de pasmo e admiração. Encanto!

O Deslumbrante e Talentoso meu Amigo decidiu presentear-me com o selo: "Blog de Elite". Vejam lá! Só mesmo deste meu amigo.

Que vou dizer mais: Não sei, mas apetece-me dizer-lhe que a irrealidade dele merece que se junte ao seus amigos extra-terrestres que sentem da mesma forma e descanse de enternecer.

Só sei que ficaríamos mais vazios de sentimentos e a sua magia faria uma imensa falta.

Uma falta insubstituível!

OBRIGADO pelo que é, Amigo Deslumbrante Óscar.

Obrigado!

E dê sempre lugar e espaço ao sonho!

São autênticos tesouros.

Relíquias a preservar, acredite?


Repasso este Prémio a todos os que me dão algum crédito e valor.

A ele e a eles(as) o meu perpétuo bem-haja de felicidade a jorros sem parar.

Obrigado a todos(as) pelo carinho e ternura das palavras que aqui expressam com delícia.

OBRIGADO!

Dedico aos dois agraciadores e presenteadores este texto e para todos os que gostam de escrever e são imensos.

Obrigado também pelo afago e maravilha de sonho puro e lindo com que sempre me agraciaram.

Um Bem-Haja a todos.

Mesmo todos!




O DOCE OLHAR CONTEMPLATIVO DAS PALAVRAS!
Quando tocamos as palavras elas sorriem aprazivelmente para nós.

Com paixão!
Gostam que as abanem, que as sintam, que as manuseiem com um ardor intenso. Majestoso!

Elas possuem vida própria, animam-se, encontram-se em mim e no que sou.
Amo com fervor beijar as palavras, recolhê-las com sentimento no meu pensamento.
As palavras coabitam, lado a lado, comigo. Não sou capaz de fazer-lhes mal porque me auxiliam prontamente no que faço, no que sinto, no que gosto, no que amo.

As palavras agitam-se, movem-se, amam!

O mundo entendeu que, as palavras, são indescritíveis de beleza e encanto.
No dicionário da Vida sugem sempre, mesmo num âmbito esteoriotipado, complexo, exigente.

Aprendi a gostar delas!

A sua companhia, o seu amor indescritivel, fazem parte do meu Mundo.
Fazem parte integrante da minha existência.
Estão alinhadinhas, como num canteiro de jardim verdejante, respeitando como flores a altura de deslumbrarem, entreabrirem-se, desabrocharem-se, perante um conselho amigo e sincero , que lhes dá a amabilidade e o carácter sonhados, de ganharem vida.

Até, quando sonhamos, elas entram no nosso sonho.

No doce sonho acordado, bem desperto, fruto de estarmos vivos e presente nelas, onde tudo floresce, maravilhosamente.
A simples palavra A e, as outras B ou C, respeitando as letras do alfabeto misturam-se harmoniosamente, fazendo estrofes, sonetos, poemas, lindos.


Tão lindos!

Namorei e namoro intensamente com elas.

E, este namoro é perpétuo, porque sinto um namoro indissolúvel e necessário com que representam uma Vida sem fim.

O doce sentimento da leitura!
Servem para descrever um bonito pôr-do-sol. A amizade. A ternura. O Amor.
É por isso que as gosto de seduzir e namorar, num namoro infinito e muito válido pelas palavras, por serem intermináveis.
Nunca traí as palavras.

São demasiado belas. Afáveis. Estarrece só de as olhar.
Contemplo-as e sou feliz no seu seio. No seu aconchego. Na magia encantada que brota delas.
E, acreditem, respeitá-las-ei e ao seu amor carinhoso. Deslumbrante.
Acreditem, viverei sempre nelas e com elas!
Sim! Perpetuamente!
Nunca conseguirei desrespeitá-las. Isso não!
Amo-as demais!

Amo demasiado as palavras!


pena. Dezembro.2007

Friday, November 30, 2007

A Imensa Beleza "Interior" das Pessoas!



(Quanta energia, meu Deus...!!!)

A Imensa Beleza "Interior" das Pessoas!

Há Pessoas que me vagueiam no pensamento por transportarem a sua imensa beleza.
Sou "rico" porque acredito nelas. Fazem tudo por justificarem a minha controversa existência.

Acredito ser "multimilionário" das ideias e do que sou, por tê-las em mim.

As frases, as palavras, as "histórias" infindáveis que conto, elas agarram-nas com uma garra que me faz surpreender.
Não as esqueço.

Aliás, não poderia de forma alguma ignorá-las. Seria insensibilidade. Falta de princípios que não merecem.
Tenhos-as em sonhos. Constantemente.
Poderei mesmo dizer que nutro por elas, pelo seu interior, um sentimento que se aproxima muito do Amor.

Não pretendo justificar-me. Só desenvolver uma ideia que me pulsa cá "dentro" e, que expresso, com todo o meu carinho e toda a minha dedicação.

Sei que não chega. Sei isso, perfeitamente.

Pretendo apenas homenageá-las na sua dignidade, no meu puro respeito, que baralham tudo o que sou.
Não possuo muito e, isso, é que me encanta. O pouco que possuo, essas pessoas valorizam em si.

Valorizam-me porque, talvez, seja irreal. Compexo ou multifacetado. Sinceramente, devo-lhes tanto?

E, digo e escrevo, só simples palavras que me saem, sem saber como?
Tavez, devesse dar um grito. Talvez, devesse ir ter com elas. Ir ao encontro dessas pessoas e explicar-lhes que o nada que sinto, que escrevo, é pura utopia e metafísica que não existem.

Existem e explicam-se só em mim.
E, é isso, que tento dizer. É isso, somente.

Baralhado ou não, a imensa "riqueza" e beleza delas, nunca deixará de viver nos meus pensamentos. Nos meus sonhos. Na visão tão bela delas.
No seu "interior" e no meu "interior".

Quando se silenciam, sinto a sua ausência em mim.
Adoro-as! Pela Imensa Beleza "Interior" que irradiam no que sou. E, sou, táo pouco.

Um Bem-Hajam!

pena. "A Imensa Beleza "Interior" das Pessoas". Julho.2007.


Thursday, November 29, 2007

Eu ofereço por que me ofereceram. Merecem pela sincera amizade...!






Prémios Escritores da Liberdade


O Prémio "Escritores da Liberdade" foi-me oferecido com ternura, pela minha adorável amiga, sempre presente e carinhosa:

"Um Momento" dos blogs: "Pensamentos, Reflexões de..." e "Momentos".


Esta amiga indescritível de talento e amabilidade com que sempre me agraciou reforçou neste gesto a sua forma mágica de Ser, Sentir e Estar que já faziam parte do meu pensamento sobre ela.
Não tenho palavras para lhe retribuir a minha verdadeira e autêntica Amizade profunda.
Um Bem-Haja Amiga, pelo que é! Obrigado!


O Prémio do "Anel da Amizade" foi-me carinhosamente indicado pela maravilhosa amiga que é, como ser Humano Exemplar terno e lindo, a encantadora Alice Matos dos Blogs: "Pensamentos" e "Detalhes". Para ela o meu sincero agradecimento sentido. Sim? Amiga! Obrigado!

Repasso carinhosamente estes Prémios aos seguintes amigos(as):
Prémio Escritores da Liberdade;

. Óscar Luiz dos Blogs: "By Óscar Luiz" e "Flainando na Web":

. Gi do Blog: "Pequenos Nadas";

. Visão Caleidoscópia do Blog:" Caleidoscópio";

. Lena Maltez do Blog; " Cabana de Palavras";

. Alice Matos dos Blogs: "Pensamentos" e "Detalhes";

. Elvira do Blog: "Sexta-Feira";

. A Filoxera do Blog: "Escrito a Quente" ;

.Sol Da Meia Noite do blog: "Sol Da Meia Noite";

.Juli Ribeiro do Blog: "Lágrimas e Sorrisos".

Repasso, igualmente carinhosamente e reconhecido pela amizade, o Prémio Anel da Amizade

. Belisa do Blog:"Estrela no Céu";

. Dilean De Bragança do Blog:"Gozos da Alma";

. Menina_Marota do Blog: "Menina Marota";

. Jasmim do Blog: "Jasmimdo meu Quintal";

. São do Blog:"São";

. Luciana Cantanhede do Blog:" Mensagens Para O Coração" ;

. Erika do Blog: "Oncotô? Proncovô? Concosô?";

.SOPHIAMAR do Blog: "SOPHIAMAR" ;

.Um Momento dos Blogs: "Pensamentos, Reflexões..." e "Momentos".

Obrigado sentido e profundo a todos os que me lêm com carinho por tudo o que faço e construo com dedicação. A todos:
Um Bem-Haja sincero e autêntico!

Concebi este Blog, iniciamente, como sendo familiar onde apenas exprimo o que me vai cá dentro.

E, que vejo?

Uma sensação inexplicável de atenção que me fazem sentir no meu cantinho ignorado de casa, na harmonia e sossego de uma "Família" maravilhosa de Seres Humanos que me expressam gratidão sincera que me leva a já não passar sem eles(as). Sinto-me perplexo de grantidão e comoção.

A todos, mas a todos, o meu mais profundo OBRIGADO de imensa estima e amizade.

OBRIGADO!

Pena.29/11/2007. 14 horas e trinta minutos






Monday, November 26, 2007

A Página em Branco do Livro que ficou por escrever...!!!

A pacatez invande-me. O delicioso bem-estar. O aprazível silencio das horas que passam a correr.
Olho à minha volta e encontro tudo o que desejo.
Até uma simples mosca percorre o ar que respiro, que amo, que sou. Está viva, pressuponho.
Uma calmaria de sonho, de pureza e de encanto.
Percorro vidas. Vidas sérias. Sinceras. Exemplares.
Foram e não foram, mas que se me atravessaram no meu caminho e que agora as relembro com um carinho grandioso e merecido.
Sou até capaz de saber os seus nomes todos que permanecem alojados em mim.
Por os respeitar imenso, sonho constantemente com eles. Sonho com essas inúmeras vidas que me ensinaram a magia de sonhar, de Ser, de viver, de Sentir. Principalmente de sentir! Agradam-me. São importantes para a vida que construí. Com o meu afecto todo. Com o meu carinho. Com a minha dedicação que lhes reconheço e adoro sentir por existirem.
Todos eles respiram. Todos eles abarcam o meu Ser. Pensam. Sentem. Amam...!!!
Todos eles!
O tempo não desconjuntou ou partiu a minha memória deles. Todos eles permanecem vivos lá.
Há muito que os deixei para trás.
Recordo-os agora. Deverão estar bem entregues. Alguém lhes segurou o sentimento. A alegria de pensar. A doce ternura como concebíamos os momentos, os instantes, o tempo.
Olho de novo à minha volta. Com atenção aos pormenores: o silêncio duma janela entreaberta, as estantes carregadas do Saber, um fio lindo de luz, uma mesa terna sem nada, as cordas magníficas da doce melodia que sai da telefonia.
Inspiro e expiro.
Porque penso tanto? Porque razão sinto imenso? Porque motivo ajo sempre com o sentimento nas mãos?
Entregaram-me AMIGOS. Sim! Pedio-os, não os adquiri. Esses amigos de sonho inacabado.
A vida de que me relembro por completo desde tenra infância, amo-a. Preenche-me e respeito-a
com um fervor, intensidade. Indo ao pormenor, de a ver, de a relembrar, de nunca a esquecer.
Calcorreio o caminho desses tempos e sonho...!!! Apetece-me abraçar a magia deste meu sonho real, mendigar para que regresse porque é lindo. Comporta um discernimento muito belo e terno.
E, quantas recordações permanecem em mim, me fizeram adorar a vida com garra e gratidão...!!!
Oh, meu Deus!
Não sei se ficou escrita a página em branco do livro que ficou por escrever...!!!
Não sei!

pena.26 de Novembro de 2007

Thursday, November 22, 2007

Os Meus Melhores FÃS: Os Meus Filhos e Os Ternos Alunos...!!!



Fico sensibilizado e comovido quando falo disto:
Os meus melhores fãs são Cidadãos do Mundo. Pertencem-me.
Pertecem ao meu Mundo!
Falo em fãs como poderia falar em amor. É igualzinho, acreditem.
Deposito neles toda a harmonia e ternura como me olham. Olhares fixos. Gestos simpáticos.



Hoje, visitei, por convite dos seus amáveis Professores, a turma do meu filho mais novo.
Frequentamos a mesma escola.
Eu, Educador/ Professor de profissão. Ele, receptor da Aprendizagem/Comunicação, aluno!

Quando entrei, sussurrei baixinho:- "Pedro, onde me posso esconder, há algum esconderijo aqui?"
Retribuio-me um sorriso doce, sereno, cúmplice e descansado. Somente! Como só ele sabe fazer.
Quando os alunos da Turma surgiram do recreio decorados com a sua felicidade juvenil estampada nos alegres e sorridentes rostos e me viram, olharam-me como se me conhecessem desde sempre.

Olhei-o, o Pedro, novamente aflito, mas os colegas detectaram-me exibindo um rasgado sorriso afável, sincero, simpático.
Enternecedor!

"Que estava eu a fazer ali?"- pensei, encostando-me e pregando-me à parede alva atrás de mim.

Mirava constantemente o Pedro de soslaio à espera de uma "bóia do naufrágio" em que caíra.
Permaneceu sempre igual a si próprio e até fez o esforço de não baixar os olhos.
Atirou-me carinhosamente a "bóia salva-vidas"pensada e imaginada e a turma toda o "barquinho" do navio afundado.

Perplexo pelo encanto e ternura de todos, retribui-lhes um tímido sorriso surgido de dentro.
Bem de dentro.
Sim! Um sorriso do fundo da Alma.

Falei. Falei. Falei...!!!!!!!!!!!!!!!

Enquanto falava, as minhas histórias eram absorvidas e assimiladas como se de relíquias se tratassem. Cativavam, não sei explicar porquê? Não acrescentei nada ao que representam na minha interioridade encontrada no eu que sou e na primeira pessoa do singular como sempre escrevo e escreverei.

Falei de vidas, da minha vida, recordações de infância e sobre a complexidade do meu Mundo só meu. Falei, por vezes com maior vivacidade, outras com maior incredulidade. Sei lá!
Fi-lo com alguma expressividade de gestos, de movimentos de contornos que nem sei se se adaptam àqueles maravilhosos Seres e àquele espaço/sala de aula.
Fi-lo, Pronto!

O Pedro e aqueles rapazes e raparigas sabem.
Fiquei estupefacto com o que presenciei: Adoraram-nas!
Senti agarrar o Universo, inquirir-me no meu desejo de passar despercebido e na ânsia de apresentar sempre uma conduta ignorada. Mas, fi-lo!

Nos momentos em que conversei, as fisionomias daqueles Seres Maravilhosos estiveram escutando. Absorvendo a mensagem que transmitia atentamente. O ambiente na sala era propício: Silêncio e interesse. Não o compreendi, mas pareceu-me afectuoso e respeitador, vejam só?
Sabem? Parece-me que gostaram!

Temi que fosse o pedro a "preparar" o meu sucesso, mas não! Aconteceu. E, aconteceu, naturalmente.

Falei-lhes como se eu estivesse sentado no lugar deles. Procurei "encontrar-me" neles, vestir a sua pele, estabelecer situações de empatia, irem de encontro ao que sou e transmito.
E, resultou. Resultou em pleno, vejam só!
Expliquem-me: Como me posso identificar com a magia linda das suas vidas? Com tanto carinho como abraçaram o que faço com fervor? Como agraciar tanta receptividade em escutarem-me?
Acreditem: Não consigo explicar. Fica por explicar. Adorava contar, mas como, se não sei?

Talvez, o meu filho Pedro saiba, mas sorri e não revela segredos que ignoro. São dele.
São os seus segredos preciosos. Próprios. Ama-os como eu o amo. Sente-os como eu o sinto.

Só tenho uma certeza: falei durante uma hora e meia.

No final, foi ainda mais: Quando me despedi e saí, ainda ouvi o bater das palmas no fundo das escadas.
"Ainda seriam para mim, aquelas saudações tão efusivas e intensas?" - pensei com o meu humilde eu, incrédulo e duvidoso.
Senti-me tão insignificante no meio de tanta significação.

Senti-me ruborizar. Senti e revi a minha árdua introspecção autêntica e verdadeira do que sou.
Enfim, senti-me bem. Senti-me muito bem!
E, pensei:

OBRIGADO Pedro! OBRIGADO colegas e amigos do Pedro!
Um OBRIGADO especial aos Professores abaixo mencionados.
Não merecia, mas deram-me tanta, tanta força!

Ainda há Professores autênticos e crianças puras, belas, educadas e deslumbrantes.
Um Grandioso e Gigantesco, Bem-Hajam pelo que são.

São e representam IMENSO! Pelo menos para mim.

(Agradeço à brilhante Professora Directora de Turma, Professora M.J. e ao indescritível e maravilhoso Professor J. R. pela atenção com que me presentearam, rodearam e me acolheram.
Um sincero Bem-Hajam!)
(Para os maravilhosos alunos um afecto sincero e puro! Para eles envio-lhes o meu Muito Obrigado!)
Desejo-lhes do coração a eterna felicidade e todo o sucesso na vida futura.)
pena.Novembro.2007.1 hora da manhã. 22.11.2007.

Saturday, November 17, 2007

A Humanidade Gerou Afectos E Sorrisos Que Percebo...!!!


Numa altura um pouco complicada, controversa e polémica da minha vida, a minha Adorada e Terna Amiga Alice Matos dos Blogs: "Detalhes" e "Pensamentos..." concedeu-me este Prémio que me emocionou e sensibilizou muito. Mesmo muito! Pela sua profunda beleza de carácter, pela enormidade do seu Ser, Sentir e Estar, o meu sincero reconhecimento de eterna veneração e fascínio.
Só para Ela, desculpem-me, por favor: Sabe, é uma PESSOA MARAVILHOSA, LINDA E UMA PRINCEZINHA DE ENCANTAR que venerarei para sempre.
Um OBRIGADO muito comovido e sincero! Bem-Haja, doce e terna AMIGA!
Repasso carinhosamente este Prémio aos seguintes blogs:
- "Lágrimas e Sorrisos" da minha eterna Amiga Juli, pela Divindade que para mim representa como pessoa e como poetisa. Estará sempre presente no que sou.
- "Mensagens do Coração" da minha amiga Luciana Cantanhede, um talismã divinal e um tesouro incálculavel e indefinível
- "Estirador Sem Rima" da profunda e admirável Anabela Quelhas, uma amiga preciosa de Uma VIda e de um sentir indescritível pela ternura, beleza e encanto com que sempre me agraciou.
- "Aukimia" da Amiga Linda "Áurea pelas palavras simpáticas e pelo valor que possuí de arrebatar na forma e, como concebe os seus lindos Posts, sempre muito criativos, imaginativos e profundos de carácter como ela. Para ela um sincero Bem-Haja pelo que é e significa.
-"Sexta-Feira" da minha Amiga doce e sempre presente com deslumbre e sensatez Elvira. Tem sempre um gesto profundo e maravilhoso comigo. OBRIGADO pelo que é. Muito!
- Fundamentalidades" do meu sincero e deslumbrante Amigo Alexandre pelo abraço forte como encara a vida sempre com um brilhantismo admirável, sóbrio e atento. Para ele Um Bem-haja sincero!
Havia mais blogs a referir, pelo encanto, ternura e compreensão que sempre me concederam e que permanecerão sempre no meu coração com um valor indescritível de encanto e estupefacção.
OBRIGADO A TODOS!







Não sei quem concebeu o Mundo. Sim! Diz-me respeito. Muito!

Invade-me a ideia avassaladora, não, de o saber, mas de o entender.
O quotidiano que vivo, vivo-o sempre com um sorriso.

Ao Alvorecer do dia, vivo intensamente a sua simpática simplicidade, o seu enternecimento e o seu encanto.
No crepúsculo fico apático a pensar e a sonhar a noite. Pensar e sonhar a noite...!!!

Só a pensar e a sonhar! Creio que posso?

Porque sou assim, ainda não discerni. Tentei modificar-me, mas não consegui.
Ambos me assolam e não entendo, apesar de os sentir. Os dias e as noites acato-os com consideração e respeito por não os preceber.

Nunca rio deles.
Amo-os demais.

Nunca rio, sorrio, deslumbrado e incrédulo por me presentearem. Profundamente embevecido.
Sorrio-lhes com a minha sincera dignidade decorada com os afectos que me deram.
Transporto-os comigo sempre com um sorriso afável por discernir a sua pura beleza.

A beleza que foi possível darem-me.

A beleza pura de Ser, de Estar, de Existir e de viver sem compreender nada.
De não compreender a complexidade dos instantes, dos momentos que perpassam velozes e céleres. Apressados.
A complexidade dos instantes e dos momentos que correm por nós sem pararem para pensarem ou sentirem. Porque o fazem? Não sei. Podiam fazer pauzas necessárias. Pararem um pouco. Só um pouco.
Fizeram-nos alucinados com pressa. Demasiada pressa.
Há muito me demiti de ser um adulto. Comportam vícios. Pesadelos. Insanidades. Inverdades!

Vivem só para eles, os adultos, e eu sorrio-lhes.

Que hei-de fazer mais se não os sinto, não pactuo com as suas vivências, nada precebo deles.
Por isso, sorrio e basta.

Vivo de afectos e sorrisos que eu entendo e creio que as crianças entendem.
Sabem porque as crianças entendem?

Porque me retribuiem o seu sorriso lindo! Porque percebem tudo. Porque não são adultos. Não vivem com a complexidade deles. Moram entricheiradas na sua simplicidade e sinceridade.

Quando olho os meus filhos eles sorriem. Fico agradecido e retribuo-lhes o sorriso também.

Este momento é tão lindo, tão lindo...!!!
São os meus mais preciosos e deslumbrantes afectos que ganhei da vida.
Sim! Esses sorrisos e esses afectos percebo-os tão bem! Bem demais até!

Não o fazem por etiqueta ou obrigação, mas porque descobriram-me a amar a vida, apesar de escondido no que sou.

Amar-me e amar os outros.

Eles amam a existência com os seus afectos e sorrisos de harmonia, sobriedade e bem-estar que lhes vai no interior.
Um enorme interior deles, de afectos e sorrisos que me interessa e entendo tão bem, tão bem...!!!
Fazem-no sem receio. Com encanto. Dedicação. Ternura.

Não porque me viram fazê-lo, mas porque lhes corre no sangue. É verdadeiro. Puro. Lindo!
A Humanidade gerou afectos e sorrisos que percebo...!!!
Certos sorrisos e certos afectos que entendo.

Nunca conseguirei explicar ou entender o Mundo.

Nestes afectos e sorrisos fico perplexo de grandiosa estima e veneração, acreditem?
Dizem-me muito. Imenso.

Quanto ao resto? Da vida...???

Não entendo nada. Nada mesmo.

Porque não interrompem um pouco o tempo para me explicar os mistérios da vida das pessoas?
Quando passo a porta que me separa do Mundo, abarco o meu Mundo e consigo entender.
Entendo o que preciso de compreender, que desejo entender, quem me consegue perceber!
Isso sim. Entendo e compreendo perfeitamente!

pena.Novembro.2007.


Wednesday, November 14, 2007

Diário de um Professor IV - Têm razão. Não sei Escrever!

Ouvi dizer que não sabia escrever porque pintava e sentia as Pessoas numa exagerada descrição que era simpática.

Não sei. Se calhar não sei.

Nunca soube escrever porque cintilam alto a que não conseguem chegar.

Sou assim! Têm razão, não sei escrever.

Os "quadros" que pinto com ternura, roubam-mos. Vêm buscá-los. Não servem porque não sei expressá-los. A doçura não serve. Não encaixa. Não se ajusta num sentir que sinto. Que conto!

Que faz parte de mim!

Senti um vazio enorme. Visualizei sombras. Visualizei gestos desarticulados.

Sonhos reais sentidos soçobrados em mim que não compreendo, nem nunca entenderei.

Cores belas. Palavras. Atitudes que primavam pelo elogio com que tentava difundir o meu sentimento construtivo.

Atónito, verifiquei que não gostavam de sílabas doces como o Firmamento e simpáticos carreiros de frases enfiladinhas com ternura.

Sei que me senti confuso. Distante de um Mundo porque tentei enfeitar e decorar Seres Humanos e atitudes belas, com imensa beleza e encanto.

Colegas que primam pela maravilha e deslumbre! Não se enquadram neles. Sim! As palavras!

Qerem que jorre pedregulhos insensíveis que não consigo expressar, nem dizer ou sentir.

Decididamente, não gostam. Querem objectividades que não sei construír.

Só percebo de ficção e de sonhos lindos!

Disseram-me: Não se ajustam. Não prestam. Precisam remendo. Reestruturação objectiva.

Imediata! Não se enquadram. Vivem de um sentimento puro. Trabalhado. Suado! Muito sentido. Têm que se deitar fora. Vivem dum versejar lindo, subjectivo e sensível que não apreciam.

Têm razão.

Não nasci para criar objectividades.

Não me entregarei. Jamais!

Preferia morrer a entregar o sonho em que habito com dedicação. Com simpatia. Com emoção!

Só sei:

Não sei ESCREVER!!

Pena. Num Desabafo de Professor ao fazer uma acta que foi recusada.. Novembro.2007

Friday, November 09, 2007

BOM DIA! Conversa Com O Alvorecer Que O Mundo Concebeu...!!!


Ainda meio sonolento, sorri afavelmente à madrugada que me abraçava.
Aconchegava o meu Ser nos seus braços protectores e vigorosos.
Olhei-a demoradamente e ela fez o mesmo. Existia reciprocidade idêntica. Uma surpreendente interioridade mútua. Discreta!

O dia principiava. Mais um dia em mim, seguindo o seu Ciclo belo, puro e terno! Normal!

Fui presenteado com a sua imensa estima. Entranhou-se em mim, mais uma vez! Com delícia e encanto. Agarrei-o humildemente. Manuseei-o e senti-o!

Sorri à nova madrugada que despontava e ela sorrio-me num gesto de retribuição. Simpática, a madrugada. Afectiva! Presente em mim.

Acerquei-me com esforço da estreita janela que, gentilmente, me convidava e visualiazei o Mundo lá fora fluindo lentamente ao sabor da brisa e do encanto que se espraiava no meu campo de alcance visual.
Só encontrei um magnífico Sentir. Gigantesco na amabilidade. Ternura!
Havia que demostrar-lhe o meu afecto. A minha capacidade de me apaixonar. Sentir. Ser. Amar!
Nas frondosas árvores tocadas pela vida, vi uma beleza que nunca sentira nem imaginava que assim fossem.
Descobri também as flores e emocionei-me pela sua maravilha. Vivas de pureza. Encanto!
Nascera com gritos abafados uma nova madrugada que nunca tive intenções de omitir ou ignorar.
Fez-se um silêncio maravilhoso no lugar onde estou. Entrei com decisão e convicção num Mundo de coisas e pessoas deslumbrantes, em mais um alvorar terno e doce da minha existência.

Olhei o imenso Universo de mim, perplexo. Intrometi-me nele. Senti-me ainda deslumbrado pela maravilha sentida que não surgiu por acaso. Ele, o meu Mundo, sabe que eu o conheço e lhe dou um poderoso valor..

Afinal, eu habito-me. Moro na minha vida como um Ser Humano desperto e lúcido.

Instalei-me lá, feliz.

Como adoro reconhecer-me desta maneira.

Fez-se um silêncio enorme de veneração à vida, à imensa consideração que nutro por ela, à intensidade que lhe dedico.

Sim! À vida!
Acenei-lhe sensibilizado sem ser por obrigação e decorei-a como o meu Ser. Desenhei os seus contornos muito lindos com cuidado, com um singelo gesto de prazer e com uma vénia de cortezia, dedicação e respeito.

Um imenso respeito e dedicação!

Adquiri uma garra determinada para entrar nela. Tenho razões para amá-la. Tem-me dado algum valor que não sei se o mereço.

Não sei. Mas, sempre a agraciei.

Apetecia-me entabular diálogo com ela. Conversar, somente.

Mas não. É demasiado linda e por isso lhe sorrio, lhe dou valor, sinto-a apenas e somente.

BOM DIA!
pena. "BOM DIA". Novembro.2007.

Sunday, November 04, 2007

A Minha Sensibilidade Que Nem Eu Compreendo...!

Sou sensível. Sensível a tudo.
Nunca pensei ter que lidar uma vida autêntica com a minha sensibilidade.
Vivo a sonhar e, os meus sonhos, expressam-se quando sonho. Mesmo os meus sonhos reais encerram verdades sonhadas.
Nunca coloquei a hipótese de prescindir deles. Deles, dos sonhos, e da minha apurada sensibilidade que possuo e se manifesta no que faço, penso e digo.
Puras inverdades verdadeiras que possuem um peso visível, claro.
Quando expresso um sentir navegado num simples barquinho de remos que sou, eles aparecem surgidos não sei de onde.
Falo...Falo...Falo...Conto sem cessar...!!!
Sei lá o que digo? Só sei que falo...com amor, com ternura, com carinho.
A minha varinha mágica comprada numa vida auxilia-me e recorro a ela para me auxiliar sempre. Ela, tem o condão precioso, de como eu, ser sensível.
E, conta...conta...conta... e rema o barquinho incerto, na ajuda necessária que me dá.
Mas, é amiga.
Está sempre pronta aos meus apelos, conselhos que lhe pergunto, atitudes correctas quando estou desconsertado e preciso de conserto.
De um complexo ajuste.
Lá, no seu infinito, nunca disse que arranjaria o que não se arranja, mas arranja com ideias, pensamentos e sensibilidade. Ajusta-me com dedicação, empenho e muito amor.
Um imenso Amor!
Possuo esta sensibilidade não sei como?
Talvez, esteja bem no meu íntimo, no meu sentir e no meu pensar. Só meus!
Não sei se será um bem? Mas, mal, tenho a certeza que não o é.
A minha sensibilidade, por vezes, deixa-me ficar mal, mas é por isso que a adoro, que a amo, que me encanta.
Vivo e, viverei sempre com ela, até ao último momento real ou irreal do existir, do pensar, do amar.
E, no último suspiro, permanecerá nos meus, como é o meu desejo verdadeiro e sincero.
Tenho a certeza, que os ajudará em tudo.
Tudo! Mesmo!
Pena.Outubro.2007.

Tuesday, October 30, 2007

Sua Santidade Bento XVI concedeu-me A Bênção Apostólica...!

Tento regressar um pouco no tempo.
Quando em Agosto visitei o Vaticano concretizei um sonho de há muito: Ver o Papa. Não sei porquê, mas tinha este desejado e ansiado sonho.
Hoje, quando abri a caixa do correio ia desmaiando.
Um envelope vindo directamente de Roma com o selo do Vaticano.
Abri trémulo a "Encomenda" e deparo com este documento valioso:
Sua Santidade Bento XVI concedeu-me a mim e à minha família com todo o coração uma Bênção Apostólica.
"Desmaiei" maravilhado na minha pequenez e humildade.
Quando "recobrei os sentidos" vi que era real. Demasiado real!
Nunca fui um beato da Igreja, nem cumpridor do ancestral ritual religioso de ir à missa, mas esta "Preciosidade" abalou-me muito. Mesmo muito!
Recuei no tempo e senti a Praça de S. Pedro e a Basílica de S.Pedro no Vaticano.
Imaginei uma pequena "Casinha" naquela praça, incógnito, entrincheirado entre curiosos e turistas, enquanto escutava o Papa nos écrans gigantes e formulei o pedido. Nunca imaginei que me dessem importância.
Hoje, chegou e fascinou!
Oh, meu Deus, OBRIGADO! Valeu a pena.
Guardarei esta "Preciosidade" até à eternidade.
Bem-Haja, Sua Santidade Bento XVI! Sinto uma felicidade indescrítivel de encanto e ternura pelo "Gesto" Grandioso..
Ainda agora sinto-me sonhar. Um sonho lindo. Puro. Indescritível!
Agora, posso sonhar e sonhar...!!!
OBRIGADO, meu Deus!
Pena. Outubro.2007.

Friday, October 26, 2007

O Pintor Sem Rosto!

Quando ainda de tenra idade senti estes instantes únicos. Inabordáveis por viverem no fascínio de mim.

Tempos inesquecíveis que passo a descrever com um "brilhozinho" no olhar e no coração por descreverem e existirem no que sou e percepciono com emoção abraçando-os com muito carinho.

Pertencem ao meu Mundo.

Tínhamos bem presente em nós que aquela gruta estava abandonada e que havia perigo nos poços de água profundos e escuros que podiam engolir-nos nas suas trevas.

Tremíamos pelo frio sentido ali, mas também por encontrarmos a angústia em todos nós, cada vez que caminhávamos mais para o seu interior.

O nosso coração parecia estalar pela ousadia de perturbar aquele lugar, um espaço que não era nosso, mas que defenderíamos e conheceríamos até à morte.

O suposto guardião da gruta dos nossos sonhos era o Nóbrega.

Nunca o entendi verdadeiramente.

A sua postura fingia ignorar-nos ou ignorava-nos mesmo.
Havia nele algo de sofrido, ausente do mundo. Sentava-se à porta de sua casa num banco de madeira tosca e pintava.

Expunha os quadros ao longo daquela rua, mas nada fazia para os vender. Olhava-os demoradamente.
A sua Arte parecia absorvê-lo, extasiá-lo. As suas obras pareciam deliciá-lo, mas ele não estava ali, disso tinha eu a certeza absoluta.

Por vezes, imaginava-o em sonhos, montar num cavalo alado e cavalgar rumo a destino incerto, distante dali, até ao infinito.

O pintor não tinha corpo, habitava somente o espírito e a alma! Mesmo a gruta que era sua, estava certo, que ele não a conhecia.
Quando passávamos com medo dele, nunca proferiu um gesto, uma palavra. Intimidava, somente, não sei por quê. A par disto, nunca ouvi a sua voz, pois, não articulava um som, uma sílaba, uma letra, pelo menos que saísse para o exterior de si.

Talvez falasse com o seu interior!
Nunca consegui sequer, ler-lhe os olhos para sentir um pensamento, uma emoção, pois, quando passávamos furtivamente, estava sempre de costas viradas para nós.

A avó Maria nunca soube das nossas investidas ali.
Quando alguém falava do pintor ela sorria com ternura e abraçava o olhar, de forma aprazível e misteriosa.
Hoje, sinceramente, penso que o guardião da gruta estava, somente, na nossa imaginação, na ilusão acalentada e consolidada dos nossos sonhos inocentes, doces, infantis.

(Dedico este relembrar de momentos infantis à minha adorada Áurea do blog doce: "Aukimia", ao selo atribuído com imensa ternura e, a todos os que nutrem por mim algo, a quem repasso este delicioso Prémio).
Recentemente, as minhas indefinidas amigas de encanto, pela amizade e carinho que sempre me dedicaram e, que me deixaram silencioso, não tendo palavras possíveis para expressar, agraciaram-me também com este "Selo":
A sempre presente Luciana Cantanhede do Blog: "Mensagens Para o Coração" que terá sempre um destaque sincero e amigo da minha parte, pela ternura, amabilidade e simpatia com que me presenteia e me deixa perplexo de espanto e mudo de Alma que cintila com maior intensidade e alegria. - Uma Pérola à parte, da imensa Blogosfera!
E, a sempre adorável e simpática Amiga Alice Matos dum Blog lindo e puro feito de sensibilidade e ternura: "Detalhes...". Uma amiga a reter, creditar plenamente no pensamento e no sentimento, pela maravilhosa escrita e adorável Sentir.
Um Bem-Hajam sincero e muito reconhecido para elas e para o seu solidário brilhantismo em tudo o que fazem. OBRIGADO!
Acreditem é para todos vós! Indispensavelmente. Pelo Amor e Simpatia.
OBRIGADO!



Pena.Outubro.2007.

Tuesday, October 23, 2007

Hoje, sonhei demoradamente com o mundo!

Hoje, sonhei demoradamente com o mundo.
Quando o raiar da Alvorada surgiu, olhei -a em mim.
Senti-a. Entranhou-se num acto de posse.
Apercebia-a, por estar despertado, em diálogo com o Mundo. O meu Mundo e o Mundo dos outros.
É certo que despertei a muito custo. Estava tão embevido em pensamentos. Estava bem. Sentia-me comigo, aprazivelmente e entrincheirado na delícia.
Como é hábito tentei aproximar-me e falar com a realidade apressada de me surgir.
Sorri e olhei à minha volta e observei, de imediato, o meu eu introspectivo.
Eternamente, introspectivo.
O Sol conquistou-me a Alma e conquistou-me o meu Sentir, com intensidade, brilhante. Timidamente. Receando-me, também!
Os seus raios afagaram-me numa conveniente atitude habitual de sonho. Um sonho sonhado com irrealidade inusitada, que não estranhei, dado querer exibir uma surpreendente magia no decoro do Planeta que habito, com que sempre penso, quando bem atento e desperto.
Estou acostumado a estas sensações.
Afinal, a madrugada só queria falar, conversar comigo. Fazer as pazes. Apaziguar-se em mim. Apaziguar a minha entrega. Conquistar o que de bem e mal possuo e transporto comigo.
As dúvidas em viver? Não as descortino para ser sincero, objectivo, lúcido.
O Mundo? Esse coabita comigo e ajuda-me nas relações interpessoais da descoberta.
Das enternas descobertas! Dialoga comigo.
Quando sinto um calafrio espinha abaixo, olho demoradamente o Mundo. Tento explicá-lo. Tento compreendê-lo.
Hoje, surpreendeu-me com este "carinho" que exibo e ostento em cima.
Como sou pequenino, perante tanta magia bela e pura da pessoa que mo atribuiu?
Aprendi com a vida que este gesto é para agradecer. Talvez, eu não o merecesse. Talvez, eu omitisse realidades com que nos confrontamos na nossa pequenez, mas fico imensamente grato.
Deslumbrado! De bem comigo.
Acredito, vivamente, que posso continuar a sonhar. Entregue a ele. Cúmplice dele.
Maravilhado com o mundo e com os actos que me levam a amá-lo!
Fiquei a sorrir comigo, fascinado com o acto.
Foi a dádiva de uma princezinha. Foi a dádiva da generosidade e da bondade.
Obrigado, doce Amiga gigante, Juli do "espaço" celeste:"Lágrimas e Sorrisos"!
E, fiquei a sorrir. Um Obrigado sentido.
As Dividades também sabem oferecer e conquistar por completo o coração das pessoas.
Um Bem-Haja, doce Amiga "Juli". É um encanto da natureza que expande e explica a ternura, a sua, e a surpreendente MARAVILHA de UM SER ENORME!
OBRIGADO!
Por um esquecimento impordoável da minha parte, que me foi relembrado pela minha doce e terna Amiga Elvira, aqui deixo, humildemente, indicados as simpáticas Pessoas a que repasso este Prémio:
. Estrela no Céu - Uma terna e adorável Pessoa;
."Sexta-Feira" - Elvira - Uma Amiga atenta e sempre presente pelo encanto:
. A Papoila - Uma preciosidade de talento como concebe ideias e as transmite maravilhosamente
. Sol da Meia Noite - Uma estimada Amiga que emite o brilho do seu adorável Ser;
. O Blog da "São"- Sempre presente como uma palavra adorável e sincera. Enorme poder de escrita;
. Alice - Simpática e rica interiormente, ao transmitir sempre com autenticidade e verdade a sua postura correcta e exemplar na vida;
. Eu Sou a Tal" da Amiga Tatá- Um ser terno e adorável. Muito bela emocionalmente. Um talento gigantesco como expressa o quotidiano de si.
Era minha preocupação contemplar todos. Todos os prémios são para eles.
Conservo no meu íntimo a sua forma forma de Ser e Estar. Inesquecíveis em mim e que transporto comigo para todo o lado com carinho e dedicação. Merecem-no, plenamente!
Um sorriso aberto para ti.
Desculpa e por favor, muito OBRIGADO por seres meu AMIGO(A) sincero que nunca esquecerei. Uma brilhante Alvorada adornada de meiguice e alegria.
Os Prémios são para ti. Todos!

pena: "Obrigado, Doce Juli". Outubro.2007.